Novo app do Google quer que pessoas aleatórias escrevam notícias

O Google lançou um projeto piloto de um app de notícias que “vai por holofote em histórias inspiradoras que não são ditas”. Liberado nesta semana de forma limitada em Nashville e Oakland, ambas cidades nos Estados Unidos, o Bulletin é um ambiente para blog e público que não requer nenhum tipo de conhecimento de publicador ou HTML. O Google espera ajudar usuários a contarem histórias “hiperlocais”.

Abaixo, tem um vídeo da festa de lançamento em Nashaville feito por Sami Cone, uma mãe blogueira e consultoria de mídia:

Basicamente, no evento, o gerente de produto do Google James Morehead disse para a audiência que o Bulletin “é sobre enriquecer a web com conteúdo local.”

Tirando a explicação de relações públicas, o Slate provavelmente tem uma descrição um pouco mais precisa: “é um sistema de gerenciamento de conteúdo super leve para jornalistas amadores.” Este não é um conceito novo, tudo que vai do Wix ao Medium passando pelo Blogspot e pelo Xanga tem uma ideia parecida, mas o que o Bulletin parece estar tentando fazer é ser uma espécie de rede social sem todos os dogmas que envolvem este tipo de plataforma.

O exemplo usado no site do Bulletin é de um escritor local que descreve uma estrada alagada durante uma tempestade. A interface parece mais com uma espécie de Google Docs compartilhado do que com o Google Plus. Sem precisar instalar nada, as pessoas podem publicar vídeos e novos posts diretamente na página do Bulletin e tudo que for feito será disponibilizado na busca do Google.

Você poderá curtir os posts do Bulletin como rola com publicações no Facebook, e ao clicar no nome do autor, será possível ver toda a produção em lista da pessoa. O autor também conseguirá ver quantas visualizações seus posts tiveram.

O Facebook teve uma ideia parecida com o “Today”, que foi lançado em seis cidades e que também tinha essa similaridade de priorizar notícias locais. A diferença é que o “Today” prioriza veículos de comunicação locais, enquanto o Bulletin encoraja que pessoas peguem seus telefones e faça publicações de qualquer assunto que seja local.

O Bulletin está funcionando em escala pequena e aparentemente não conta com uma curadoria. Decidir quem vê o quê é um problema, por exemplo, que o Facebook tem enfrentado — no caso, a rede social ainda está se recuperando do papel que seus algoritmos tiveram durante a campanha de desinformação russa nas eleições norte-americanas.

A iniciativa ainda está em seus primeiros dias, mas é interessante ver o Google acompanhando os passos do Facebook e em uma escala menor, em resposta a problemas com redes de notícias online que produzem conteúdo viral e muito compartilhável. Há certa ironia que grandes companhias esteja considerando ferramentas de blog de 10 anos atrás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *